O que nos aprisionam?

O ego é formado de pensamentos, emoções, identificações com bens, opiniões, aparência física, ressentimentos e ideias de superioridade e inferioridade. Ele tem uma constante necessidade de aparecer, dominar, buscar atenção e de experimentar se opor aos outros para ter uma sensação de isolamento.

Os condicionamentos mentais, adquiridos desde que nascemos, nos aprisionam numa vida de dor e insatisfação. Para o despertar de uma nova dimensão da consciência, devemos abandonar os padrões mentais destrutivos vindos do ego. O despertar só é possível obtendo consciência das características nocivas do ego. Enquanto a consciência não desperta, continuamos dominados pelo ego e vivendo uma vida cheia de dor e sofrimento.

Identidade ilusória

O ego é uma percepção equivocada de quem você é. Essa identidade ilusória se torna a referência para as más interpretações da realidade, dos pensamentos, interações e relacionamentos. A pessoa passa a refletir a ilusão original em sua realidade.

Como superar as ilusões do ego?

– Reconheça a ilusão e ela se dissolverá.  Nosso erro é considerar a ilusão como sendo a realidade.

– Compreenda quem você não é, para que a realidade do que é apareça por si mesma.

– Conscientize-se de que a palavra “eu” não é quem você é.

– Desidentifique-se dos diversos elementos, como nacionalidade, gênero, raça, religião, profissão, bens materiais, o corpo percebido pelos sentidos, etc.

– Desidentifique-se dos papéis, mãe, pai, marido, esposa, etc.

– Desidentifique-se de opiniões, conhecimentos acumulados, o gostar e o não gostar, de fatos do passado. Enfim, você não é a sua história.

– Observe a mente egóica (a voz na sua cabeça). Ela é totalmente condicionada pelo passado.

– Deixe de ser o conteúdo da mente para se tornar a consciência lá no fundo.

– Torne-se presente e olhe para dentro, desligue sua reação de um acontecimento e observe ambos.

A maioria das pessoas ainda está espiritualmente inconsciente, ou seja, totalmente identificada com a mente, pensamentos compulsivos, repetitivos e inúteis.

“O pensamento sem a consciência é o principal dilema da existência humana.”  Eckhart Tolle

O ego não conhece o Ser porque este deve ser sentido e não pensado.  Quando observamos o ego em nós, este começa a ser superado. Sempre que perceber um comportamento egóico em si mesmo, sorria. O ego não é quem você é. Quando abandonamos as identificações, surge a profunda alegria do Ser. Se você estiver consciente de que está identificado com algo, essa identificação não é mais total.

O começo da transformação da consciência é estar consciente de que existe identificação.

 “Eu sou a consciência que está consciente de que existe vínculo.”  Eckhart Tolle

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

Referência:

TOLLE, Eckhart – Um novo mundo – O despertar de uma nova consciência, RJ, Sextante, 2007.



WhatsApp chat