Descubra sua mais profunda força interna

Algumas pessoas passam a vida inteira sofrendo, enquanto outras sofrem em situações pontuais, em relações familiares e amorosas, danos físicos ou emocionais, perdas do passado, abandono, etc.

O sofrimento pode se manifestar em forma de irritação, impaciência, um ar sombrio, desejo de ferir, raiva, ira, depressão ou uma necessidade de criar problema em seus relacionamentos.

Observe o mecanismo da mente. Ela julga frequentemente o comportamento e nomeia as coisas. Esse processo cria sofrimento e infelicidade. Quando observamos esse procedimento da mente, podemos sair de padrões de resistência e deixar que o momento presente exista. Com isso, surgirá um estado de liberdade interior, o verdadeiro estado de paz interior. Observe o que ocorre e aja, sempre que for necessário ou possível.

Aceite e depois aja

O que quer que surja no momento presente, aceito-o como sua escolha. Não lute contra ele, seja sempre um amigo e aliado, não seu inimigo.

Quando ainda não somos capazes de nos conectar ao poder do Agora, vamos armazenando resíduos de sofrimento emocional. Esses resíduos juntam-se ao sofrimento do passado e se acomodam no corpo e na mente.

Todo esse sofrimento se manifesta como um campo de energia negativa na mente e no corpo. Ele tem duas características:  ativo e inativo. Em alguém profundamente infeliz, o sofrimento fica ativo 100%  do tempo e em outras pessoas pode ficar inativo 90%. Qualquer sinal pode ativá-lo, desde que encontre ressonância em um padrão de sofrimento do passado.

Há variados tipos de sofrimento, os irritantes, os monstros destrutivos e mórbidos, verdadeiros demônios. Outros se apresentam fisicamente violentos, outros, emocionalmente violentos. As pessoas à nossa volta podem ser atacadas, bem como, nós mesmos.  Os pensamentos e sentimentos, com relação à nossa vida, tornam-se negativos e autodestrutivos.

É fundamental, em qualquer situação, observar a nós mesmos e não aos outros. Observe qualquer sinal de infelicidade, em si mesmo, pois pode ser o despertar do sofrimento. Ao nos identificarmos inconscientemente com o sofrimento damos vida a ele. Quando o sofrimento toma conta de nós cria uma frequência de energia que o alimenta. Tornamo-nos vítimas ou perpetradores. Queremos causar sofrimento, ou senti-lo, ou ambos. Esse processo ocorre de forma inconsciente.

Observe com atenção que seu pensamento e o seu comportamento estão programados para dar continuidade ao sofrimento, a si mesmo e aos outros.

Quando você se torna consciente desse processo, o padrão se dissolve. Ninguém em sã consciência quer mais sofrimento e ninguém é insano conscientemente.

O sofrimento teme ser descoberto, teme a luz da consciência. Ele só continua atuando por meio de nossa identificação inconsciente. Revivemos o sofrimento sempre que tememos enfrentá-lo com a luz de nossa consciência. Ele não sobrevive sobre o poder da nossa presença.

O sofrimento não quer ser observado. Quando o observamos, sentimos seu campo energético dentro de nós e saímos da identificação com ele. Dessa forma, surge uma nova dimensão da consciência, a presença. Passamos a testemunhar e observar o sofrimento. Assim, não somos usados por ele, que finge ser nosso eu interior. Esta é a nossa mais profunda força interna. Acessamos o poder do Agora!

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

Referência: TOLLE, Eckhart – O poder do Agora – um guia para a iluminação espiritual – RJ – Sextante, 2002.



WhatsApp chat