Cada dor revela um desafio

A chave para compreender, eliminar ou diminuir o sofrimento está na capacidade de colocar a atenção em nossas reações, diante das experiências dolorosas da vida. Essa capacidade só se expressa quando a consciência está despertando. Antes desse despertar, as reações das pessoas são previsíveis e parecem idênticas.

De acordo com a ciência, a sensibilidade à dor aumenta quando se tem um estado mais elevado de consciência, com a dor física ocorre o mesmo. Cientistas evidenciaram que a dor física atua diferentemente de pessoa a pessoa, porque ela é um produto da consciência. É fato a conexão existente entre o físico e a mente, o que nos ajuda a entender o significado da dor.

A compreensão de nossas barreiras internas ao crescimento advém da análise de nossos distúrbios e sofrimento, físicos ou morais. Devemos sempre nos questionar “por que sofremos?” e “como sofremos?”. Contudo, esse questionamento é uma atitude de alguém que já desenvolveu um trabalho interno, e que tem aspiração espiritual. As pessoas se submetem à dor, totalmente, e não se observam enquanto estão sofrendo. Estão identificadas com suas reações.

Os variados modos de sofrer vêm do nível evolutivo de cada pessoa. Devemos buscar compreender a causa e o sentimento do sofrimento, para poder compreender a mensagem que o mesmo nos traz. Toda vez que sofremos, temos de entender a que estamos resistindo, involuntariamente, e devemos focar a atenção em nossa reação à dor ou sofrimento.

Quando nosso problema é afetivo e nos apegamos às pessoas e situações, criamos necessidades falsas de amar e ser amados. Assim, nosso sofrimento se revelará por meio de desilusões, frustrações, separações e renúncias na área afetiva. Esse sofrimento nos faz compreender, por quais caminhos devemos nos desenvolver e superar nossas limitações.

De outra forma, se o problema for de autoafirmação frustrada, que nos faz buscar, incessantemente, o reconhecimento de nossos feitos, o sucesso na vida e a afirmação do nosso ego, sofreremos muito, a não ser que sejamos apreciados e reconhecidos. O que nos liberta desse erro é compreender que a felicidade não vem somente por meio da satisfação de nossa vontade.

A pessoa é sempre submetida ao mesmo problema, em seu caminho evolutivo e de progresso, até que compreenda sua barreira interna. Nosso objetivo é compreender nossos obstáculos e o que necessitamos superar, para adquirir harmonia interna entre nossa personalidade e o Eu.

Cada pessoa está em um momento evolutivo e possui obstáculos e lições a serem aprendidas.

Na Terra, todos sofrem, a dor é universal e há um sentido profundo para ser compreendido. Por que nosso foco, nossa concentração, fica nas dificuldades e preocupações pessoais, ao invés de encararmos o sofrimento como um passo que nos leva ao progresso? Estamos todos conectados à consciência coletiva e, dessa forma, colaboramos com a evolução da humanidade, por meio de nosso progresso individual.

Com nosso trabalho interno, podemos superar a dor e as forças involutivas, que são geradas pela ignorância e obscuridade.

O mal se encontra no passado e é entendido como inconsciência, cristalização e bloqueios. O bem está no futuro evolutivo.  Ao nos tornarmos conscientes e progredir na direção do futuro, poderemos ajudar a evolução humana. O caminho é estarmos atentos às reações, para que possamos realizar nosso trabalho interno, progredir e superar as dificuldades.

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

Referência

BATÀ, Angela Maria La Sala – O Caminho para a Libertação do Sofrimento – 10ª. Ed.- São Paulo 2009 – Editora Pensamento.



WhatsApp chat