Você vive em uma prisão mental e emocional?

Não é fácil perceber as prisões nas quais vivemos, porque somos tão condicionados, que elas se tornaram inconscientes e familiares para nós. Perdemos a liberdade quando vivemos presos a regras sociais, costumes familiares, opiniões alheias, medos em geral, questões culturais, etc.

Na prisão mental, você fica aprisionado às crenças limitantes, preceitos e pensamentos que bloqueiam seu crescimento. Na prisão emocional, você fica subjugado às reações emocionais automáticas em circunstâncias diversas em sua vida. Ambas, proporcionam muito sofrimento.

Da mesma forma que prisão significa encarceramento, dentre outras definições, nas prisões mental e emocional, a pessoa fica encarcerada em um estado de ser negativo e prejudicial à sua saúde e crescimento pessoal. Estar preso no mental e emocional significa que você está vivendo dentro de limitações, que vieram de suas programações na infância. A visão de mundo fica comprometida com barreiras mentais e reações emocionais, que impõem limites para criar novos rumos para o sucesso.

O cérebro está estruturado para refletir tudo que você aprendeu e sabe sobre a vida, portanto, tem toda programação do passado. A mente é ilimitada, porém costumamos colocar travas e limitações. Toda vez que repetimos tudo igual ao que sabemos, tudo continua da mesma forma. Continuamos a criar mais do mesmo.

Seguem alguns exemplos de prisões, que nos mantém presos em nossos próprios limites internos:

VÍCIOS

O vício encarcera o dependente, seja do que for: bebidas, cigarro, internet, sexo, compras, celular, mentiras, etc… Nos casos de dependência já instalada, a mente e as emoções estão subjugadas ao comando do vício adquirido.

DEPENDÊNCIA EMOCIONAL

Cria a incapacidade em fazer algo sozinho e necessita sempre do apoio do outro.

DEPENDÊNCIA FINANCEIRA

Incapacidade de administrar seu próprio dinheiro. Vive preso em dívidas, dependente de empréstimos de familiares, amigos e bancos. Gasta mais do que ganha, sem critérios, em orçamento e com impulsividade.

PREOCUPAÇÃO COM ESTÉTICA

Pessoas preocupadas com a própria imagem vivem prisioneiras dos julgamentos próprio e alheio. Gastam muito dinheiro, às vezes o que nem tem, com roupas e estéticas em geral.

PREOCUPAÇÃO COM JULGAMENTO ALHEIO

Pessoas que vivem preocupadas com o que os outros vão falar. Vivem muito limitadas e com medos diversos: de falar em público, fracasso, de tomar ações mais ousadas, de receber um “não”, etc.

 REALIZAR O SONHO DOS PAIS

Filhos que querem dar prazer aos pais, seguindo a mesma profissão, ou realizando algo que os pais não conseguiram fazer ou satisfazendo os desejos dos pais. Deixam de viver e realizar seus próprios sonhos.

CIÚME

É um cárcere de tensão e ansiedade. O ciumento fica obsessivo em vigiar o outro e não consegue sentir paz.

PERFECCIONISMO

Inflexibilidade presente em uma mente que não admite cometer erros. Com isso, a pessoa fica sem liberdade para criar algo novo, sem tempo para realizar novos projetos e com dificuldades em diversos setores. É exigente e requer padrões rígidos para si e para os outros.

PRISÃO ROMÂNTICA

Pessoas que ficam presas a relacionamentos tóxicos ou que já acabaram, e não conseguem colocar um ponto final.

CONHECIMENTO É PODER

Essas prisões são limitações autoimpostas e podem durar uma vida inteira. Podemos mudar qualquer coisa que não queremos mais em nossa vida. Somos os criadores de nossa própria realidade. Quando compreendemos o conceito de mudança, o processo de libertação se inicia. É o momento em que deixamos de pensar como sempre pensamos, deixamos de agir como sempre agimos, paramos de reclamar, culpar, dar desculpas, ou, ainda, de sentir autopiedade.

Começamos, firmemente, a viver o momento presente, percebendo os pensamentos e emoções que estamos sentindo.

O autoconhecimento é fundamental para a libertação do passado. Conhecimento sobre si mesmo é autopoder.  

Questione o porquê de estar prisioneiro de algo que só traz infelicidade, sofrimento e perda de energia. Analise sua vida e determine mudanças para criar um novo futuro. Comece a se posicionar no presente, tornando-se consciente de seus pensamentos e emoções inconscientes. Seja observador de si mesmo e adquira confiança para se permitir ir além dos pensamentos, das emoções e dos ambientes.

Só quando estamos verdadeiramente conscientes é que podemos adquirir o domínio para mudar o cérebro, os programas da mente e mudar nossa vida. Tudo é possível para aquele que se determina e coloca foco no que é precioso, começar a mudar de dentro para fora.

 

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

 

Referência: Curso Cura-te: o poder da tua mente – Joe Dispenza – Younity Portugal



WhatsApp chat