Vício mental

Um vício mental pode ser definido como um pensamento ou um conjunto de pensamentos obsessivos, ou compulsivos. Pensamentos que não saem da mente e se repetem a todo o momento. A mente fica viciada em pensar obsessivamente em algum problema ou alguma atividade como: internet, celular, leituras, estudos, lazer, trabalho, sexo, comida, uso de álcool, fumo e outras drogas.  O vício mental faz parte de uma mente viciada e, portanto, é doentia. A mente doentia se associa a energias densas, que vão se acumulando e formando formas pensamento. Uma mente que está absorvendo e acumulando energias densas e negativas está gerando energias de igual teor e, portanto, é uma mente que está enferma.

Nosso pensamento se irradia através de ondas mentais, que vão se associando a outros pensamentos de igual teor e emoções semelhantes. Quando um pensamento de tristeza, ou de angústia, raiva, mágoa, ressentimento, ou de qualquer outra emoção permanece, constantemente,  em nossa mente, vai se agregando às energias densas correspondentes e formando um Elemental com poder mental, que se integra à nossa aura. O que alimenta esse ciclo vicioso é a própria pessoa com pensamentos, sentimentos e emoções repetitivas.

A partir daí, essas formas pensamento vão tendo uma forma, uma cor, uma imagem e tem vida própria não consciente. Esse processo auto-obsessivo é criado e mantido por nós mesmos. Estamos nos auto obsidiando através de pensamentos e emoções densas. Essa aglutinação de energias densas das formas pensamento é repleta de parasitas energéticos, que vão roubando nossa energia vital. Os sintomas são diarreia, dores de cabeça, dores no pescoço, no estômago, na coluna, refluxo, insônia, cansaço crônico, etc…

O principal foco dos parasitas energéticos é o sistema nervoso, onde eles se alojam no cérebro, roubando todo impulso elétrico nas sinapses. Isso causa ansiedade, irritabilidade por pequenas coisas e agressividade.

A agressividade contempla os três aspectos a seguir.

  • Contra si próprio, quando a pessoa não expressa sua raiva, sua indignação, irritação, não diz não, não coloca limites e disfarça o tempo todo sorrindo e agradando os outros.
  • Explosão e implosão: quando a pessoa explode na hora errada e causa muito estrago nas relações interpessoais; ou na implosão, a pessoa adoece.
  • Agressividade física – acontece quando as duas anteriores já chegaram ao ápice.

Nós próprios nos contaminamos com nossos pensamentos e emoções disfuncionais e criamos os parasitas energéticos. Esses podem vir também de ambientes externos ou de outras pessoas. Mas não nos iludamos, se nos contaminou é porque houve ressonância com nossos conteúdos internos.

A grande maioria das pessoas têm tendências negativas, pessimistas, elevado grau de ignorância da parte espiritual e energética. O fato é que não somos ainda pessoas boas, apenas possuímos tendências boas, o que nos possibilita gerar e absorver um nível elevado de energias densas.

Será que estamos dando 100% de importância a algum problema? Dessa forma, vamos nos intoxicando e contaminando energeticamente nossa aura. Não se trata de obsessores espirituais, mas de nosso próprio processo auto-obsessivo criado e alimentado por nós. Esse processo se associa a energias externas semelhantes.

Para se curar desses processos auto-obsessivos, de intoxicação energética, devemos buscar ajuda terapêutica para a educação mental e emocional. Com a educação mental e emocional, conseguimos o equilíbrio interno de nossos pensamentos e aprendemos a não ser tão sensíveis aos próprios conteúdos nocivos e aos de outros. Vamos aprender, também, a ficar atentos aos nossos processos de sintonia com os problemas de enfermidade e de adoecimento. A pessoa precisa tratar sua mente para desprogramar pensamentos de inveja, de ódio, rancor, amargura, baixa autoestima, medos, angústia, complexo de inferioridade, etc.

Uma grande parte dos problemas físicos foi criada por situações repetitivas de longa data, que geraram as formas pensamento, com parasitas energéticos, e não demos a devida atenção na época. Portanto, a pessoa deve ter paciência para se  autocurar, pois não adoeceu da noite para o dia. Deve se empenhar e estar comprometida com sua reeducação mental e emocional, para se libertar desses padrões energéticos negativos e viver uma vida mais positiva e feliz.

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br



WhatsApp chat