Padrão do amor negativo

As pessoas sofrem com o coração dilacerado por terem sido tratadas, muitas vezes com indiferença e descaso, outras vezes, com a prática de “magia negra” dos pais, ou de um deles.

A “magia negra” no modo como tratam as crianças, desde muito pequenas, ou quando dizem e repetem, ao longo de seu crescimento palavras negativas e duras, que valem por uma hipnose negativa, que perduram ao longo de suas vidas, como crenças limitantes e destruidoras do sucesso e da paz.

Muitas vezes, o pai, ou a mãe, ou, ainda, ambos, com problemas de alcoolismo e/ou outras drogas não conseguem estar presentes junto às necessidades materiais, mentais e emocionais de seus filhos. Com esse ambiente disfuncional, as crianças crescem cheias de medos e angústias, de necessidades não atendidas.
Quando adolescentes estão cheios de raiva, ou mesmo de ódio por seus progenitores.

Quando adultos não conseguem se libertar de todo esse padrão negativo, que persiste em corroer os mais sublimes impulsos de seus corações. As pessoas mais significativas de suas vidas, aquelas que lhe foram confiadas para lhes darem cuidados e amor, não souberam, ou não foram capazes de lhes proporcionar segurança, para que elas crescessem com uma base de confiança e amor.

É muito doloroso esse quadro, pois muitas vezes há sintomas físicos presentes e ideias suicidas. Quando essas pessoas se deparam com tamanha dor e não conseguem estar de bem consigo mesmas, mas buscam ajuda emocional e espiritual, ainda, há esperança e solução.

No entretanto, quando não procuram ajuda, a grande maioria busca o alívio de suas dores, suas tensões internas em substâncias e comportamentos autodestrutivos, que lhes sedam a consciência, que congelam suas emoções. Infelizmente, esse caminho não as leva para a cura, mas para a dependência. Caem em uma grande armadilha: o fundo do poço emocional e espiritual.

Emocional porque é um conjunto de emoções negativas não curadas: raiva, ansiedade, angústia, vazio interior, tristeza, culpa, etc…

Espiritual porque com esse mundo interno tão negativo, a pessoa atrai a companhia de Espíritos que estão na mesma sintonia, que sofrem da mesma forma e se conectam à elas, usurpando-lhes as energias e lhe fazendo companhia nos vícios.

Ao buscar ajuda, para tratar o mental e emocional, a pessoa passa por um processo terapêutico de autoconhecimento e de conexão consigo mesma. É um processo libertador de cura e auto cura. Conforme o entendimento vai se processando em sua mente, ela vai se auto percebendo e modificando o modo negativo de viver.

A maior libertação é, essas pessoas, entenderem que seus pais são espíritos imperfeitos como elas próprias, que fizeram e deram o que podiam fazer e dar e que elas, em especial, não são vítimas. Apenas colhem o efeito de alguma causa aflitiva, que pode estar presente nesta vida ou em vidas anteriores.

Quando a consciência se abre para esses aprendizados divinos, é realizada uma releitura de sua infância e o perdão é concebível. Depois, vem a fase do auto perdão, para poder se auto amar.

É maravilhoso, quando a pessoa persevera e alcança essa compreensão e se transforma. Para tudo há solução, mas a pessoa precisa estar pronta para essa auto cura, esse auto amor. Ninguém pode fazer ou passar por esse processo por ela. A tarefa é individual e deve ser feita pela própria pessoa que sofre, para que ela colha os frutos da auto cura e do auto amor.

*Codependência: síndrome emocional. A pessoa tem uma necessidade imperiosa para controlar pessoas, coisas, eventos e circunstâncias.

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br