Psicoterapia: o grande desafio em se autoconhecer

Sócrates ao ver a inscrição “Conhece-te a ti mesmo”, na entrada do templo de Delfos, a tomou como inspiração para construir sua filosofia.

A base de sua filosofia é se ocupar menos com riqueza, fama e poder, e se ocupar mais consigo próprio. E qual o objetivo em nos ocupar com nós mesmos? Porque o autoconhecimento é o caminho que nos conduz à verdade. A verdade que é capaz de nos transformar em um ser autêntico e original.

Através de um processo psicoterapêutico, temos a possibilidade de nos autoconhecer e assumir a responsabilidade por tudo que nos acontece na vida, de bom e de ruim. Não se trata apenas de desabafar as mágoas, os ressentimentos, as angústias, as raivas, ou, ainda, de uma mera autoajuda. Mas, sim de um grande desafio: o contato consigo mesmo, que pode ser doloroso e libertador ao mesmo tempo. É o encontro com as negações, carências, medos, angústias e vazios, muitas vezes, de muitos anos atrás. Não é um processo fácil, mas reitero que vale a pena, pois nos liberta de energias disfuncionais e reprimidas ao longo da vida.

Quando recebemos o impulso para buscar um processo psicoterapêutico, pelo qual nos afinamos, já estamos dando um primeiro passo para nossa harmonização interna e equilíbrio emocional. Mas, somente o primeiro passo não é suficiente. Há de se estar seriamente interessado em se conhecer de forma profunda, objetivando uma transformação radical de si mesmo.

Quando a pessoa compreende que é a única responsável por sua vida e se coloca de mente e coração abertos, para se autoconhecer, um milagre acontece: ela expande sua consciência de tal forma, que muda radicalmente sua perspectiva de olhar o mundo. Cada pessoa pode e consegue se modificar, desde que queira e esteja disposta a trabalhar a si mesma. Não basta apenas querer, há de se estar seriamente comprometida com o processo.

Muitas pessoas colocam a expectativa de que num passe de mágica, as coisas mudam, porém, mágicas não existem. Trata-se de um processo, que requer empenho e determinação para se transformar. Com essa atitude superficial, muitas pessoas acabam perdendo a oportunidade do momento do impulso, que está exigindo mudanças em sua vida.

Toda psicoterapia é um processo de mudança, que proporciona a oportunidade para a pessoa modificar, profundamente, seu modo de agir, pensar, sentir e ser. Com essa transformação, ela consegue atrair novas influências e sai do ciclo vicioso e repetitivo de crenças limitantes, das angústias, pensamentos obsessivos, falta de autocontrole emocional, de culpar pessoas e circunstâncias e eleva sua autoestima e confiança em si mesma.

O momento atual é muito favorável às mudanças e  está exigindo um novo pensar de toda a humanidade, para transformar paradigmas obsoletos que têm regido nossa vida até agora. A transformação deve vir de cada pessoa, que vai se libertando e transformando nosso mundo em um novo alvorecer.

Portanto, evite o velho hábito de querer mágicas em um processo profundo e duradouro de transformação. Tenha paciência com seu próprio processo de mudança e se determine a se autoconhecer. O autoconhecimento é libertador. Você deixa de agir automaticamente e passa a viver de uma forma cada vez mais consciente e mais plena. Os resultados, para aquelas que se propõem a trabalhar a si mesmas, com seriedade e profundidade, são extraordinários. Toda vida se transforma e a paz interna habita dentro de si. E isto já é uma felicidade. E essa transformação colabora para a transformação do mundo.

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br



WhatsApp chat