O processo de transformação exige presença

O sofrimento é produzido pela inconsciência.

Você não pode lutar contra o sofrimento, porque pode gerar um conflito interno e mais sofrimento.

O sofrimento torna-se autônomo, temporariamente, é parte da energia vital que foi aprisionada pela identificação mental.

Quando estamos inconscientes, identificamo-nos com o sofrimento e alimentamos, por exemplo, a raiva advinda de algo que vivenciamos, repetindo-a constantemente. Há sempre um sofrimento oculto, quando há raiva.

Um padrão mental negativo significa que o pensamento se alinhou com o sofrimento e ficamos submetidos ao ataque dele, portanto, inconscientes e vulneráveis.

A inconsciência significa uma identificação com um padrão mental ou emocional. É a ausência do observador.

Como se tornar consciente na presença do sofrimento?

– Observe a presença do sofrimento.

– Aceite-o como parte existente naquele momento.

– Vigie seu eu interno.

– Esteja presente e alerta para observar o sofrimento e sentir sua energia.

– Concentre-se no sentimento dentro de você.

– Aceite-o e reconheça que é o sofrimento.

– Não permita pensar a respeito.

– Não permita que o sentimento vire um pensamento.

– Não julgue e nem faça análises.

– Desidentifique-se do sofrimento.

– Esteja presente e alerta. Observe o que ocorre dentro de você.

– Coloque-se na posição neutra do observador e perceba o sofrimento emocional e a presença do observador, aquele que está observando.

Colocando-se na posição de observador, o sofrimento deixa de controlar seu pensamento. Ele perde a força.

Para um processo de transformação, é necessário manter-se alerta e consciente para dissolver o elo entre o sofrimento, o pensamento e as emoções.

O poder está em sua própria presença consciente. Está no Agora!

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

Referência: TOLLE, Eckhart – O poder do Agora – um guia para a iluminação espiritual – RJ – Sextante, 2002.



WhatsApp chat