Não leve nada para o lado pessoal

Nada do que os outros fazem é motivado por você. É por causa deles mesmos.

Todos vivem em seu próprio sonho, em sua própria mente; estão num mundo completamente diferente do que aquele no qual vivemos.

Quando levamos algo para o lado pessoal, presumimos que os outros sabem o que está em nosso mundo e tentamos impor nosso mundo ao deles.

Mesmo em um insulto, não tem nada a ver com você.

O ponto de vista deles provém de toda a programação que receberam durante a domesticação.

Você aceita o lixo emocional deles, que passa a ser o seu.

Se você não levar para o lado pessoal, estará imune, mesmo no meio do inferno.

Quando você leva as coisas para o lado pessoal, sente-se ofendido e reage para defender suas crenças e cria conflitos. Você faz uma tempestade num copo de água, porque tem a necessidade de estar certo e tomar todos os outros errados.

Quando você diz que alguém o está magoando, não é o que ele está dizendo que o está magoando, mas a ferida que você possui, que foi tocada. Você está magoando a si mesmo.

Você enxerga o mundo com olhos diferentes, os seus olhos. Você cria uma imagem ou um filme em sua mente, e nessa imagem você é o diretor, o produtor e o protagonista. Todos os outros são coadjuvantes. É o seu filme. Não leve nada para o lado pessoal, porque ao fazer isso você sofre por nada.

Os seres humanos são viciados em sofrer de várias formas diferentes, e apoiam uns aos outros quando se trata de manter esse vício.

Os seres humanos concordam em ajudar uns aos outros a sofrer. Se você tem necessidade de sofrer, vai encontrar facilmente quem o faça sofrer.

Você não precisa colocar sua confiança no que os outros dizem ou fazem. Só precisará confiar em si mesmo para fazer escolhas responsáveis.

Você nunca é responsável pela ação dos outros; só é responsável por si próprio.

Miguel Ruiz – Os quatro compromissos

los-cuatro-acuerdos

Anete de L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br