Estresse e liderança

O estresse em decorrência da correria do dia a dia é natural, todos passam por ele, porém precisamos estar atentos aos sinais de quando estamos perdendo o controle e o equilíbrio físico, mental e emocional.

Desde a ancestralidade, o estresse é uma resposta física a um determinado estímulo. Sob ameaça, real ou imaginária, o corpo reage de forma a “lutar ou fugir”. Com essa reação, o cérebro libera hormônios e substâncias químicas, como adrenalina, cortisol e norepinefrina para preparar o corpo para a ação física necessária.

Hoje o profissional vive com alta demanda de exigência e produtividade. Com a falta de habilidade para manter o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, pode-se gerar altos níveis de estresse.  Quando nosso equilíbrio, físico e psicológico, fica comprometido com eventos estressantes frequentes, nosso organismo fica desregulado e esgotado. O estresse pode nos levar à incapacidade para resolver problemas, de forma criativa, nos impossibilitar de expressar emoções e de ter uma comunicação assertiva.

Você está estressado? Reconheça os sinais.

– tensão muscular

– batimentos cardíacos elevados – palpitações

– formigamento na face, mãos

– problemas de pele

– hipertensão

– perda de interesse pelas coisas

– problemas de atenção, concentração e memória

– ansiedade

– depressão

Causas

Podem vir das mais variadas fontes: relacionamentos, sentimentos, doenças, acidentes, eventos imprevistos, demanda excessiva de reuniões, prazos não realistas, nascimento de filho, divórcio, mudanças profissionais (troca de emprego, promoção, demissão); aposentadoria, mudança de casa, trânsito, crenças, familiar doente ou deficiente, desejo de controlar as coisas, morte de familiar; características de personalidade como perfeccionismo, pressa, vitimismo, vícios por resultados, etc.

Com estresse, nos sentimos magoados, amedrontados, com raiva, ressentidos e tendemos a ignorar e reprimir sentimentos. O problema é quando ultrapassamos nossos limites naturais e não conseguimos superar os desafios rotineiros e nos adaptar.

Como lidar e tratar

Existem três fatores importantes para o tratamento: aprender a administrar e lidar com os estressores; aumentar a resiliência (resistência) e mudar a forma de percepção e reação.

Devemos respeitar nossos limites, aprender a dizer não, autogerenciar as emoções, negociar, administrar o tempo, colocando foco nas prioridades; examinar e limitar atividades urgentes e circunstanciais, analisar situações de subaproveitamento, conhecer os valores e priorizá-los, identificar vícios por resultados, aprender a lidar com conflitos, aprender e desenvolver habilidades de comunicação interpessoal, buscar práticas de relaxamento e visualização.

Em resumo

Para estressores externos, busque alternativas, novas opções para melhorar e se adaptar. Para estressores internos, que são provenientes de características de personalidade, busque ajuda profissional. Lembre-se de que não existe medicação para o estresse.

Como prevenção e controle, tenha uma alimentação saudável (com verduras, legumes e frutas) e pratique atividade física regularmente.

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

Referências:

MARQUES, José Roberto – Leader Coach – Coaching como Filosofia de Liderança – Editora Ser Mais

Artigo Tudo sobre o estresse em: https://www.einstein.br/noticias/noticia/tudo-sobre-estresse 

Artigo Estresse em:  http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2068-estresse