Desconexão consigo mesmo

Milhares de pessoas continuam desconectadas de si mesmas. Vivem somente a parte superficial da vida, com a mente acelerada produzindo estresse, ansiedade e angústia. Não há como conectar-se a si mesmo sem autoconhecimento. A ausência de conhecimento de si mesmo contribui para o afastamento da própria essência, diminuindo a autoconfiança, que é fundamental para exercer o poder interior.

Muitos seres estão desconectados de sua própria realidade emocional e instintiva e vivem uma vida de padrões automatizados, que se repetem. Esses padrões são energéticos e instalam-se como energias negativas. Eles vão mantendo a energia vital na sombra e na obscuridade. Esse negativismo energético, não autopercebido, produz estados mentais de medo, culpa, raiva, angústia, tristeza, etc… Eles são alimentados energeticamente com notícias ruins, críticas, julgamentos, inveja, pensamentos negativos, etc… Todos esses padrões vão se somando na mente. Quando se transferem para o corpo físico produzem os sintomas e, consequentemente, a doença se torna visível. O corpo físico é o último desaguadouro desses padrões energéticos disfuncionais, revelando-se, assim, a presença de conflitos internos, emocionais e psíquicos. Portanto, o corpo reflete o estado íntimo do Ser, revelando, dessa forma, a desarmonia em que se encontra a mente e, em nível mais profundo, a alma. Os sintomas e a doença são estados da mente doentia, com conflitos emocionais e psíquicos ainda não resolvidos, não curados.

Vivemos em um ambiente muito negativo e materialista, com exagerado consumismo e superficialidades exteriores. Dessa forma, o despertar da consciência se torna em um processo bastante complexo para a alma. No entanto, é possível esse despertamento. Atualmente, nessa fase de transição planetária, há um aceleramento de energias positivas que favorecem esse despertar da consciência.

Fomos educados e condicionados a viver a vida superficialmente, nos conectando muito ao externo e, portanto, nos distanciando de nós mesmos. É assim que nos desconectamos, cada vez mais, de nós mesmos e vamos vivendo um mundo de ilusões criado pela própria mente.

Para contribuir para o despertamento da consciência, faz-se necessário o mal estar, a dor, os sintomas desagradáveis ou mesmo a doença, no corpo físico, para que questionemos e impulsionemos nossa consciência em busca de autoconhecimento. Quando sabemos quem somos, o desafio em despertar a consciência se torna mais fácil de ser vencido. Somos seres espirituais experienciando uma vivência material, em um planeta, ainda, de terceira dimensão. Viver na Terra é um grande desafio para o despertar da consciência de cada alma. E, como podemos nos ajudar? Somos seres interdependentes. Podemos buscar ajuda de pessoas que já ultrapassaram o nível em que nos encontramos. Essa ajuda pode ser, também, através de outros caminhos, que estão disponíveis para todos. No meu entender, basta acionar a vontade para sair da obscuridade de si mesmo e investir em autoconhecimento.

O conhecimento de si mesmo vai contribuir para a libertação de prisões diversas: da mente, do intelecto, de crenças disfuncionais, de dependências, etc. Esse processo nos possibilita a limpeza de conteúdos negativos, a transmutação de energias negativas e o acionamento de recursos internos, o poder interno. Nosso poder é ilimitado, mas não o despertamos, ainda,  para essa consciência maior, porque há a ausência de conhecimento de si mesmo. Vivemos em confinamentos,  que nos aprisionam e nos tornam vítimas de nós mesmos. Somos herdeiros de nós mesmos. Por isso, é tempo de herdarmos a herança do divino que há em cada um de nós. Através desse despertamento, advém o bem-estar, a paz consigo mesmo e o amor, que jaz latente dentro de nós. Desperte já das sombras e da obscuridade internas. Conecte-se consigo mesmo: corpo, mente e espírito. Que haja luz, paz e amor em sua consciência.

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br



WhatsApp chat