A importância do perdão

Em muitos processos terapêuticos, identifico a necessidade do perdão, para que a pessoa possa se libertar de bloqueios de energias disfuncionais geradas em seu passado. Essas energias bloqueiam sua vida e, obviamente, seus relacionamentos.

A raiz desse problema está, na grande maioria dos casos, na criança ferida pelo amor negativo. O amor negativo é praticado por pessoas inconscientes que também receberam esse mesmo padrão de seus pais ou cuidadores. Quando se está inconsciente, a prática predominante é de atos distorcidos e de muitos erros. Por essa razão, não há culpados, mas responsáveis pela parte que lhes cabe.

A criança ferida pelo amor negativo decreta padrões vingativos e, inconscientemente, vai praticando o mesmo padrão para si mesmo e para com seus relacionamentos. Quando adulta, a dor se torna muito impactante em sua vida, com repressões graves que lhe tiram a espontaneidade, a confiança e a fé na vida. Com isso sua vida vai se bloqueando e as energias densas se acumulando.

Se busca a ajuda terapêutica, a criança ferida em seu eu mais profundo, não consegue compreender e nem admitir a possibilidade do perdão. A criança ferida acusa veementemente seus pais, ou um deles, por sua desgraça, por sua dor e está cega pela revolta e pelo ódio. Se ela não se dispuser a abrir a mente e mudar esses padrões de pensamento e crenças limitadoras, não conseguirá curar as feridas da alma, para viver uma vida livre e feliz, que merece. Definitivamente, não vai se libertar das amarras de uma infância infeliz, cheia de constrangimentos, represálias, repressões de sua espontaneidade e de sua expressão amorosa.

É fácil constatar em seu estado atual essa dinâmica que vem do amor negativo. Assim, a cura interna se processa através do perdão, que neutraliza as forças do ódio e das mágoas. Caso o problema tenha sido com a mãe, essa criança ferida traz problemas de relacionamento com mulheres. Caso o problema tenha sido com o pai, os relacionamentos disfuncionais serão com homens. Se foi com ambos, o resultado é relacionamento problemático com pessoas de ambos os sexos. Portanto, perdoando o pai/a mãe curam-se os relacionamentos na origem, o que repercute na melhoria dos relacionamentos atuais e futuros.

A partir do momento que a pessoa compreende a necessidade de perdoar os outros e a si mesma, para se libertar de angústias e ser feliz,  a oração do perdão é uma excelente ferramenta. Ela é feita por trinta noites sequenciais, com a energia do coração. Com isso, o padrão energético disfuncional vai se transmutando e a pessoa se liberta das amarras do amor negativo que sofreu em sua infância. Na verdade, ela sai do ciclo vicioso do ódio, mágoas, ressentimentos e vinganças e entra em novos estados emocionais, mais positivos e felizes. Boa prática. Liberte-se e seja feliz!

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br



WhatsApp chat