Parem de reclamar e comecem a viver uma vida plena!

Muitas pessoas querem mudar, mas poucas estão dispostas a fazer um processo de transformação. Uma grande parte dessas pessoas está somente reclamando e não fazendo nada daquilo que deveriam, para mudar suas situações e estados emocionais. Há muita reclamação, excesso de lamentação, mas raríssimas ações, para efetivamente, alterarem o trajeto que suas vidas tomaram.

Há sofrimento? Sim, muito sofrimento. Quando essas pessoas entram num transe contínuo de sempre reclamar da mesma forma, o sofrimento aumenta mais. Cada vez que reclamam, aumentam ainda mais a energia negativa em torno de seu campo energético, a aura. Acabam prisioneiras dessas energias negativas e, concretamente, não saem do lugar. Ficam paradas, estagnadas. Não ouvem qualquer orientação que as possa ajudar, apenas escutam, não assimilam. Querem apenas reclamar e lamentar de suas dores, das experiências vividas, dos maus tratos, das indiferenças, das angústias, dos medos, dos outros e assim caminham pela vida.

Refletindo a respeito, percebo que, em muitos casos, há a vitimização. Quando explicamos o mecanismo da vitimização, não aceitam, estão fechadas para o entendimento. Não compreenderam, ainda, que elas são o resultado delas próprias, de seus pensamentos distorcidos, de crenças limitantes, de palavras e ações não coerentes com a ecologia interna. Se não há ecologia interna, o externo não estará ecológico. É fato comprovado. Ecologia aqui, no sentido, de harmonização interna.

A vida, constantemente, lhes passa o recado para mudar. E, em alguns momentos esporádicos,  até buscam alguma alternativa para lhes ajudar. No entanto, acabam não dando continuidade. O primeiro impulso foi só de buscar, eleger algum profissional, marcar o horário e não comparecer.  Simples, assim, se não fosse trágico, pois há a lei de causa e consequência de seus atos. Com essas atitudes de desrespeito aos outros, acabam acumulando mais energias densas e se entorpecendo ainda mais com suas reclamações e lamentações. Tudo e todos são culpados, menos elas. Não assumem a auto responsabilidade por sua própria vida. Querem que a vida muda, sem fazerem nada de concreto para que a mudança aconteça.

O primeiro aspecto, muito importante, é fazer uma reforma interior. Analisem, honestamente, que tipos de ações vêm tomando para que sua vida esteja tão negativa e sofrida. Comecem a assumir a responsabilidade por suas escolhas e as consequências advindas delas.  Nas pequenas coisas, desde desmarcar o  horário com o profissional, quando não pode comparecer; apagar as luzes, quando acender; limpar quando sujar, telefonar quando desistir, etc. Não assumam compromissos sem qualquer comprometimento, porque esse comportamento gera acúmulo de densidade em sua vida e depois não adianta reclamar.

Uma sugestão, parem de reclamar! Parem de se lamentar e comecem a se corrigir nas pequenas coisas cotidianas. Sejam honestas consigo mesmas, para atrair honestidade em sua vida. Sejam respeitosas, para atrair respeito. Tudo começa de dentro para fora e não o contrário.  Outra sugestão fantástica que pode mudar sua vida é a gratidão. Agradeçam tudo que já têm. Comprometam-se a fazer essas pequeninas reformas íntimas. Vocês vão se surpreender com os resultados. Tudo muda, quando mudamos. Despertem, alinhem-se e conectem-se com o divino dentro de você. O divino fora de você será atraído, automaticamente. A lei funciona assim! A cada um de acordo com suas ações. Boa mudança! Vale a pena se corrigir!

 
Anete L. Blefari
Psicoterapeuta Holística e Master Coach
anete@institutoessencial.com
www.institutoessencial.com

No Comments

Post A Comment