O quanto de mim está querendo mudar o que pode ser mudado

Fico me questionando, o quanto de mim está querendo fazer alterações em minha vida. Sabe, aquelas mudanças que trariam um novo significado para tudo, que traria uma nova energia, uma nova força interna, uma disposição incrível para viver a vida que realmente quero viver, realizando meus sonhos, vivendo uma vida mais positiva e feliz.

Às vezes, sinto que realmente quero mudar, mas algo acontece que me leva a repetir sempre as mesmas ações, os mesmos pensamentos, as mesmas sensações….. Estou, realmente, cansada disso. Mas, aí pergunto, será que, verdadeiramente, quero mudar? Será que estou me iludindo novamente e não quero sair do meu conforto atual?

O quanto estou disposta a modificar meus hábitos, minhas palavras, tudo aquilo que digo para mim mesma, que vai programando a mente e se manifestando em minha vida?

Estou disposta a pagar o preço total, para essa verdadeira e necessária mudança? Esse preço inclui ir ao Psicoterapeuta, ou ao Coach, para facilitar meu autoconhecimento, para entender meus processos internos inconscientes, desprogramar crenças que me limitam.

Esse preço inclui o tempo que estou disposta a me trabalhar, a me conhecer e me auto-perceber para poder efetuar as mudanças que quero. Quando começo um processo de mudança, seja de psicoterapia ou de coaching, fico super motivada inicialmente, mas depois… vou me cansando de tudo. Parece que não quero mais mudar, não suporto olhar para minhas dores. Não quero conhecer quem verdadeiramente eu sou. Começo, então, a colocar menos energia nas sessões. Começo a não praticar mais as estratégias que aprendi nas sessões. Oh, não! Não suporto mais essa dor! E, infelizmente, acabo desistindo e pior, colocando toda a culpa no terapeuta, no processo de mudança, no trânsito, na dificuldade de pagar as sessões, etc…

Verdadeiramente, sei que estou fugindo de mim mesma, mas um dia, vou ter de encarar todo meu conteúdo disfuncional. Ninguém muda por mim, sou eu mesma que vou ter de mudar, se quero ser feliz!

Não sou meu corpo, não sou minhas emoções, não sou meus pensamentos, não sou minha mente. Mas, quem eu sou, então??? Sei que a desmotivação para me autoconhecer e trabalhar meus padrões repetitivos já me levou a pensar: será que quero mudar, mesmo?? E você, já teve esse questionamento? Ou está feliz com a vida que tem? “

Esses questionamentos fazem parte de muitas pessoas que sentem angústia, tristeza, culpa, estão infelizes fazendo o que fazem, mas não conseguem levar adiante um processo de mudança. E sabe por que? Porque crescer e evoluir exige de nós COMPROMETIMENTO. Exige a mudança de posturas antigas e o processo de aprendizagem do novo.

Verdadeiramente, você está disposto a mudar??? Reflita.

 

Anete L. Blefari
www.institutoessencial.com
Apoiando seu crescimento interior.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.