Quem não é atormentado por dúvidas e por pensamentos negativos?

Mesmo pessoas consideradas “boas” experimentam negatividades, em pensamentos, sentimentos e atitudes.

Muitas vezes, podemos ir do extremo do bem para o extremo do mal. A socialização nos impede, muitas vezes, de agir como os maus, de modo antissocial.

Com base na experiência de mais de 45 anos, na psiquiatria, o Dr. Robert I. Simon afirma que as pessoas são bastante complexas e imprevisíveis e conclui que o mau comportamento é parte essencial de nossa natureza. Afirma, também, que a capacidade de sonhar com atos maus e não agir de acordo com esses sonhos vem da capacidade mental desenvolvida, que é consequência, em grande parte, da saúde psicológica. Sob a perspectiva médica e psicológica, continua ele, evita-se definir as pessoas somente como boas ou más.

Quando pensamos, sentimos e falamos, estamos expressando qual é o nosso caráter. Na gênese dos problemas psicológicos estão os graves desvios de caráter. Mostramos nosso caráter, principalmente, nas pequenas coisas que fazemos ou deixamos de fazer. Não há um caráter perfeito, uma saúde mental perfeita. O mais próximo da realidade é um caráter “suficientemente bom”, de acordo, ainda, com o Dr. Robert Simon.

Quais são as características das pessoas saudáveis, sob o aspecto psicológico;

– Pessoas saudáveis se aceitam como são e gostam de si mesmas. São independentes de aprovação alheia.  Não se          deixam abater com críticas destrutivas.

– Para manter a autoestima, pessoas saudáveis não diminuem as outras. Reconhecem seus erros e buscam ajuda de            outras pessoas quando necessitam.

– Não precisam ser perfeitas para ter autoaceitação.

– Internalizam o amor e o cuidado que receberam das figuras paternas, que lhes dão apoio e sustentação em momentos        de crise.

– Rejeitam o suicídio como forma de resolver os problemas da vida.

– Possuem valores e padrões que servem como senso moral.

– Têm uma consciência firme, justa e flexível. Sabe distinguir o certo do errado.

– Trabalham duro para alcançar o que querem e aprendem com os fracassos.

– Não seguem padrões perfeccionistas, que limitam e as expõe ao fracasso. Sabem que a perfeição é inimiga do bem.

– Valorizam a cooperação e a colaboração com outras pessoas.

– Encaram a vida como um desafio positivo, para seu crescimento.

– Gostam de se relacionar com outras pessoas. Confiam, apropriadamente, e agem para despertar confiança.

– Têm empatia e aceitam a expressão de conflitos e problemas semelhantes aos seus.

– Transmitem apoio e confiança aos amigos e conhecidos.

– Dominam sentimentos eventuais de inveja ou de ciúme, com o objetivo de manter o bom relacionamento.

– Não dominam ninguém, não controlam comportamentos alheios.

– Aceitam o lado obscuro de sua condição humana, seus conflitos, desejos inconfessáveis e impulsos antissociais.

– Têm a capacidade de amar, de valorizar outra pessoa.

Uma forte indicação de saúde emocional é a capacidade de administrar a ansiedade advinda do conflito externo ou interno, sem se desestruturar ou tomar atitudes extremas.

Um convite para você leitor: analise a si mesmo

Se você tivesse um gênio que pudesse satisfazer todos os seus desejos, sem consequências pessoais, o que pediria?

Se seus desejos forem atendidos, a quem beneficiariam ou prejudicariam?

Você teria desejos antissociais?

Quando aceitamos nosso lado obscuro, damos o primeiro passo para nossa transformação.

Fonte:  Homens maus fazem o que homens bons sonham – Robert I. Simon

 

Anete L. Blefari
anete@sermelhorepleno.com.br
www.sermelhorepleno.com.br

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.