Que realidade você está criando, repetidamente?

Você não está gostando de sua realidade, em casa, no trabalho, no social?

Saiba que a sua realidade é você mesmo que está criando, de forma consciente ou inconsciente.  A realidade individual é resultado de nossa criação pessoal. A realidade familiar é resultado da criação do grupo familiar. A realidade coletiva é o resultado do conjunto de criações de toda a humanidade.

Então, que realidade você está criando?  Quando não assumimos a autoria de nossas criações, nos colocamos como vítimas. E vítimas, definitivamente, não existem. Podemos, no máximo, ser vítimas de nós mesmos. Herdamos nossa própria herança do passado. É certo que o ambiente, o comportamento de outras pessoas, crenças, valores e capacidades podem influenciar e muito nossa própria realidade. Porém, quando assumimos nosso poder interior e comandamos nossos processos internos, eliciamos recursos que nos habilitam a aprender com as experiências exteriores e não nos prendemos a elas.

Você vive reproduzindo sempre as mesmas lições? Com pessoas, talvez, diferentes, mas lições recorrentes. Então, é hora de aprender o que as lições querem ensinar. É hora de mudar algo dentro de si mesmo para poder mudar a programação recorrente. Quando mudamos algo em nossas atitudes, em nosso modo de pensar ou em nossa maneira de ver a experiência, influenciamos a mudança dos resultados. A partir do aprendizado, as lições não mais se repetem.  Para que isto ocorra, é necessário despertar a consciência para viver no momento presente.  É imprescindível, ainda, reconhecer que você tem o poder de criar sua realidade e assumir responsabilidade pelas experiências que vive. Não é sábio lamentar o que já  passou, pois não temos o poder de mudar aquilo que já foi. O que já foi criado, já foi. Tire o aprendizado daquela experiência e comece a fazer de forma diferente.

Assuma seu poder espiritual diante de suas experiências. Esteja consciente para o que está criando. Sempre você tem o poder de mudar o resultado de qualquer experiência, desde que esteja vigilante. Avalie seu mundo interno. Que tipos de pensamentos você produz?  Você está consciente dos pensamentos que passam pela sua mente? Das palavras que repete, constantemente? Você é capaz de identificar um sentimento de raiva,  angústia, ansiedade ou qualquer outro antes que ele lhe domine totalmente?

Assuma a direção de suas criações. Esteja no comando das emoções para produzir paz interna e direcionar sua vida no caminho que deseja. Pare de dizer a você mesmo palavras negativas, para de se lamentar, de criticar, de julgar e de desabonar sua capacidade. Tudo isso vai minando a autoconfiança e, consequentemente, o resultado é baixa autoestima.

Acolha toda experiência que vier, com amor. Ela faz parte de você. Coloque a luz da consciência e utilize a técnica de autocura (Ho’oponopono), dizendo: “Sinto muito – Te amo – Me perdoa – Sou grata”. Toda vez que surgir algo negativo, acolha e aplique essa técnica. Sempre que tiver desavenças com alguém, aplique a técnica. Comprometa-se com sua evolução contínua, você pode sim mudar sua realidade. Acredite em você. Se você não acreditar em si mesmo, quem vai acreditar? Comece por você. Dê créditos a você mesmo. Confie em sua intuição, prestando atenção ao que sente em cada experiência. Isto se chama autoamor. E é maravilhoso amar. Ame a si mesmo. O amor começa em você, depois, você compartilha com o mundo.

Boa sorte, bons aprendizados e lembre-se de estar consciente em suas experiências para criar a realidade que quer e não a que não quer.

Muita paz, luz e amor em sua vida.

 

Anete L. Blefari
Psicoterapeuta e Master Coach
www.institutoessencial.com

No Comments

Post A Comment