Quando nosso mundo interno está denso

Se vivemos a vida de forma automática e colocamos o foco apenas na parte material, na busca frenética de sucesso, perdemos o que há de mais essencial: o contato com nosso mundo interno. Consequentemente, perdemos  a conexão conosco. Não somos nosso corpo, nem nossa mente, pensamentos e emoções. Somos um Ser Espiritual que tem um corpo, mente, pensamentos, sentimentos e emoções.

Quando renascemos, aqui na Terra, trazemos nossa densidade com conteúdos ainda não elaborados, feridas não curadas, dores não superadas e sentimentos não transmutados. Essa mesma densidade é que nos faz atrair, pela lei de afinidade, nossos pais e irmãos. A história inicia-se, desde a infância, trazendo-nos as pessoas, experiências e eventos que vão ativar nossa dor. Assim, começamos a sentir angústia, tristeza, ansiedade, culpa, que nos faz sofrer imensamente. Sentimos um vazio enorme no peito. Esse estado de densidade ativado, dentro de nós, começa a nos direcionar para experiências e acontecimentos que estão na mesma frequência de dor. Dessa maneira, iniciamos um ciclo vicioso ao repetir padrões automáticos de comportamento, crenças limitantes, que vão governando nossa vida. Ora é  alguém que nos incomoda por um ato pueril, um outro que nos fecha no trânsito, ou uma palavra ou comportamento inofensivo, que nos traz reações emocionais desequilibradas. Desse modo, vamos alimentando nossa energia densa, inconscientemente, e não percebemos que somos, nós mesmos, os responsáveis pelas perturbações vivenciadas.

A dor nos convida a despertar de nossa própria densidade. É ela que nos induz a buscar a ajuda necessária para superá-la. Se estamos, ainda, no estágio de esperar mágicas, vamos buscar a pílula medicamentosa, que alivia os sintomas, mas não nos cura. Para que a cura se processe, precisamos ser honestos para enfrentar nossas dores, para, assim, compreender quem realmente somos e o que necessitamos curar em nós. Quem, verdadeiramente, é esse ser que habita o corpo, que tem uma mente e sofre uma dor intensa. Ao ir despertando a própria consciência para algo mais profundo, podemos acionar a vontade para buscar a luz interior. Podemos ir mais fundo nos colocando disponíveis para adquirir autoconhecimento, praticar a auto observação, se autoperceber nas interações humanas, com o objetivo de efetivar as mudanças necessárias.

Aquele que trabalha a si mesmo vence suas dores e ganha bem-estar e transformação pessoal profunda. A paz interna asserena a mente e proporciona equilíbrio emocional.

A vida está sempre a nosso favor. Ela nos traz pessoas, experiências e acontecimentos que pode nos proporcionar aprendizados e crescimento pessoal. O planeta Terra é um lar temporário, como uma escola educadora. É tempo de despertar nossa consciência para viver a vida essencial. As coisas da matéria nos absorve muito tempo, mas são necessárias para nosso desenvolvimento, porém podemos administrá-las melhor. Quando colocamos o foco apenas no lado material da vida, perdemos a oportunidade de nos desenvolver espiritualmente. Lembrando que o conhecimento, as virtudes desenvolvidas, o equilíbrio emocional conquistado são perenes. As coisas materiais conquistadas são passageiras e efêmeras.

O despertar da consciência, para sair do profundo sono de nossa densidade, é fundamental para nossa felicidade. Muita paz, luz e amor!

 
Anete L. Blefari
Meu propósito é auxiliar pessoas que querem alcançar bem-estar e transformação pessoal!
www.institutoessencial.com

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.